28 de ago de 2009

Desabafo (by Dêfo)

Post original no site do Festival Mundo de Oz
Friday - 28/08/09 as 12:12
Hoje dia 14/08, pela manhã tive um verdadeiro conflito de sentimentos, algo que começou com uma grande emoção e terminou em uma revolta maior ainda, explico: Ao acordar liguei a TV na emissora líder de audiência para ver o jornal matinal e me deparei com uma matéria sobre o Festival Woodstock, afinal no dia seguinte faria 40 anos que ele acontecera, dia 15 de agosto de 1969.
As imagens mostradas pela TV me reportaram na mesma hora para os dias de hoje: vi crianças brincando, pessoas unidas em um mesmo ideal de paz e amor, que não estavam em suas condições psíquicas normais, porém não havia confusões e nem faziam mal uns aos outros, muito pelo contrário, dividiam tudo, roupas, carinho, alimento, sentimento e o mesmo ideal de liberdade, alguns até se jogavam na lama e agradeciam a chuva, todos embalados pelo ritmo alucinante do rock and roll, que na época era a música escutada por hippies e odiada por muitos. A cada segundo que passava eu me via dentro da reportagem, pois eu e muitos iguais a mim fazem isso hoje nos festivais trance.
Certa hora a reportagem citou um casamento celebrado no Woodstock, meu pensamento foi direto para o tão querido Universo Paralello, onde realizei a cerimônia do meu casamento ano passado. Não pude conter as lágrimas! E como não chorar vendo aqueles que hoje são cinqüentões e sessentões, e são considerados como um marco de mudança mundial, fazendo naquela época tudo o que nós fazemos em nossas festas e festivais hoje?
Assim que a reportagem acabou os apresentadores do jornal elogiaram os malucos beleza, e enfatizaram a mudança cultural que eles proporcionaram. Me veio então à cabeça a seguinte questão: E nós hoje? O que somos? Um bando de drogados? Traficantes? De cabelo sujo e jeito esquisito? Nossa música não é música? Nosso intuito é desordem e barulho? Somos um bando de vagabundos filhinhos de papai que não querem nada da vida???
Será que no futuro falarão que a geração Trance foi outro marco? Não sei. O que sei é que merecemos esse mesmo respeito hoje. E porque a mídia e os órgãos competentes não buscam ver o lado bom dos festivais e festas de hoje assim como eles fazem com Woodstock? Essa pergunta eu mesmo respondo, porque não da IBOPE. Apoiar o diferente não dá status, mas criticar sim! Mesmo que no futuro essas pessoas fracas de opinião digam que mudaram de idéia para terem sua audiência garantida.
Desculpem-me pelo desabafo, mas ficar quieto não faz parte da minha conduta, e uma coisa é certa, todos os empresários, médicos, profissionais liberais, hippies e trabalhadores em geral, que hoje curtem festas rave e festivais eletrônicos nunca foram e nunca serão vagabundos drogados! São pessoas que acreditam em um ideal e que cuidam das suas vidas sem interferirem nas dos outros, e quando entram na vida de outra pessoa sempre é para trazer algo positivo, fazer o bem. Lembrem-se que essa geração que é criticada hoje governará o mundo amanhã e que com certeza não cometerá os mesmos erros que essa sociedade hipócrita de hoje comete.
O espírito trance está e sempre estará vivo em nossos corações... Viva a psicodelia!!!
Fui...
(DÊFO) – Fábio Defourny
Empresário, Sócio do Festival Mundo de Oz e Shantala Festival, 36 anos e Rastta Man com orgulho.
Abaixo tudo que vocês verão NÃO é mera coincidência: